Capacitação em Comércio Exterior
     

 

 

 

 

 

FIESC Capacitação em Comércio Exterior

 

Este programa – realizado pela FIESC em parceria com a FUNCEX – tem por objetivo oferecer o suporte necessário para que seus associados, e todos os profissionais e empresários que atuam no comércio exterior, adquiram conhecimentos que lhes permitam trabalhar com segurança e alinhados às boas práticas do mercado internacional, visando o sucesso de seus negócios.

treinamento

Para a FIESC, a formação dos profissionais que atuam no comércio exterior deve ser planejada de maneira abrangente e dinâmica, partindo do princípio de que a dimensão internacional deve permear toda a empresa, criando mentalidade e comportamento alinhados com os padrões vigentes nas empresas internacionais. Assim, o programa oferecido no âmbito desta parceria reflete estes princípios, trazendo temas considerados estratégicos para apoiar de modo prático as operações de exportação e importação. Confira a programação!

Data Temática Cidade Professor
10/09/2019 Plano de Internacionalização Florianópolis Marcos Assis
19/09/2019 Tudo sobre Drawback Florianópolis Maria da Luz
03/10/2019 Adequação de Embalagem para Exportação Florianópolis Marcos Assis
10/10/2019 DU-E Declaração Única de Exportação na prática Rio do Sul Sinara Bueno
17/10/2019 Contratos Internacionais de Compra e Venda Florianópolis Maria da Luz
07/11/2019 Classificação Fiscal de Mercadorias e Incoterms Rio do Sul Maria da Luz
05/12/2019

Câmbio no Comércio Exterior

Florianópolis Shirley Atsumi
 
LOCAL DE REALIZAÇÃO

Local de realização:

Florianópolis Florianópolis: Fiesc - Rodovia Admar Gonçaga, 2765, Itacorubi

Rio do Sul Rio do Sul: Em definição

INVESTIMENTO

Associados da Fiesc: R$ 650,00 (seiscentos e cinquenta reais)

Estudantes: R$ 650,00 (seiscentos e cinquenta reais)

Não Associados: R$ 950,00 (novecentos e cinquenta reais)

CONDIÇÕES DE PAGAMENTO

Via boleto bancário, a vista

Via Cartão de Crédito, podendo ser parcelado em até 6 vezes sem juros

POLÍTICA DE DESCONTO
A Funcex concede 10% de desconto para empresas que inscreverem três ou mais colaboradores e que efetivarem o pagamento via boleto bancário (gerado pela Funcex).
INSCRIÇÕES

Diretamente no site da Funcex.

Se preferir, entre em contato com a Funcex via E-mail: cursosfuncex@funcex.org.br; Skype: cursos.funcex; Telefone: (21) 2509-7000 ou WhatsApp: (21) 9 8111-1760.

BENEFÍCIOS

Todos os participantes serão contemplados com um exemplar da edição mais atual da RBCE Revista Brasileira de Comércio Exterior, publicada pela Funcex.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS COM A FIESC

Telefone: (48) 3231-4662

E-mail: cin@fiesc.com.br

OBSERVAÇÕES

O curso contempla: material didático, coffee-break e certificado de conclusão.

As datas poderão ser alteradas segundo as necessidades dos organizadores, o que será comunicado com a devida antecipação.

Ao iniciar o treinamento, os participantes receberão material didático (apostila) para o acompanhamento da aula expositiva, com aporte de recursos visuais e exercícios.

Atenção: Após a confirmação do curso, não haverá devolução de taxa de inscrição, podendo somente ser transferida para outro curso 70% do valor pago.

 

PLANO DIDÁTICO

A didática terá uma abordagem prática-teórica, onde a partir da resolução de problemas propostos (incluindo cases), a teoria será explicada, possibilitando que os participantes desenvolvam uma postura proativa na resolução de situações quotidianas ligadas ao tema abordado.

As aulas serão expositivas, com utilização de apresentações em power-point, acompanhamento de apostila com conteúdo e exercícios para serem realizados em sala, individualmente e em grupos.

Os cursos sobre Du-e e DU-Imp utilizam o apoio de simuladores e serão realizados em laboratório, em outro endereço (em Florianópolis), que será informado com a devida antecedência.

 
EMENTAS DOS CURSOS (download em pdf)
 

Plano de Internacionalização

 
Por que é importante conhecer

Ao decidir avançar as fronteiras e se internacionalizar, toda empresa deve ter uma estratégia de exportação bem definida, com objetivos claros e absolutamente factíveis. Isso é muito importante, pois permite dimensionar, no sentido amplo, os recursos corporativos - pessoal, marketing, finanças e gestão - que serão necessários para assegurar a consecução dos objetivos traçados.

Ter uma estratégia de exportação também ajuda a promover um alinhamento interno no tocante a este tema, além de facilitar a comunicação e o acompanhamento de todo o processo.  Em qualquer circunstância, é indispensável que a estratégia de exportação esteja integrada e alinhada com a estratégia geral da empresa, a fim de possibilitar que a expansão dos negócios no exterior seja compatível com as metas estabelecidas para o mercado interno.

Assim, fazer um bom plano de internacionalização é uma condição sine-qua-non para o sucesso dos negócios internacionais.

 
Ementa

 

1. Tendências do ambiente de negócios internacionais

  • Macroambiente econômico e as forças que afetam a empresa
  • Novo consumidor
  • Mudanças estratégicas
  • Inovações tecnológicas
  • Internet e comércio eletrônico

2. Ambiente econômico global

  • A economia mundial – uma visão global
  • Estágios de desenvolvimento de mercado
  • Desenvolvimento de mercado e consumo no século 21
  • Marketing global

3. Internacionalização das empresas

  • O que é internacionalização
  • Vantagens da internacionalização
  • Riscos e ameaças no mercado internacional
  • Reflexões sobre internacionalização de PMEs – Modelos Italiano e Mexicano

4. Analisando a situação financeira e organizacional da empresa

  • Metas e objetivos da internacionalização
  • Disponibilidade de recursos financeiros
  • Comprometimento e motivação dos funcionários
  • Competências fundamentais

5. Selecionando e adequando o produto para o mercado internacional

  • Características e requisitos da demanda potencial
  • Barreiras comerciais
  • Conformidade do produto ou serviço em relação a regulamentações governamentais no exterior
  • Características das ofertas dos concorrentes
  • Adaptação do produto
  • Atributos do produto – embalagem, design, qualidade
  • Marca e sua importância – registro de marca

6. Definindo o preço para exportação

  • Elementos constitutivos
  • Estratégias de determinação de preços
  • Como fixar preços

7. Mercado-alvo

  • Segmentação e seleção de mercado
  • Pesquisa documental e de campo
  • Inteligência comercial

8. Construindo uma rede de parceiros qualificados

  • Experiência e conhecimento do mercado
  • Acesso a canais de distribuição
  • Boa situação financeira
  • Qualidade da equipe
  • Conhecimentos técnicos
  • Infraestrutura e instalações adequadas no mercado-alvo

9. Canais de distribuição

  • Tipos de canais
  • Estrutura dos canais de distribuição
  • Os canais mais utilizados
  • Canal x produto
  • Selecionando o melhor canal de distribuição
  • Exercício vivenciado sobre acesso a mercados externos – Canais de distribuição

10. Promoção do produto

  • Informações para o consumidor
  • Seleção de mídia
  • Métodos de promoção
  • Feiras internacionais, missões comerciais, rodadas de negócios
  • Política de apoio governamental às feiras e exposições

11. Casos Empresariais

  • Experiências de empresas nacionais
  • Modelos de internacionalização de empresas
 
Docente
Marcos Assis
 

Tudo sobre Drawback

 
Por que é importante conhecer

No comercio exterior são diversos os regimes aduaneiros que oferecem suspensão ou isenção de tributos. Nenhum, todavia, tão útil para o fabricante exportador quanto o drawback, que permite a desoneração de impostos nas importações e aquisições internas vinculadas a compromissos de exportação, proporcionando maior competitividade no mercado externo e expansão dos negócios internacionais, pois o preço final do produto exportado estará desonerado dos tributos relativos às matérias primas, tanto as adquiridas no mercado local como importadas, além da redução, suspensão ou isenção de taxas.

A utilização do regime requer conhecimento e cuidados, apesar de ser razoavelmente simples e muito automatizada.

Como avaliar o custo administrativo frente à redução de custos proporcionada pelo regime? É interessante para a empresa pleitear o regime? Quais são os pré-requisitos para obter o ato concessório, que permite utilizar o regime? Como se preparar? Quais são as boas práticas para obter os melhores resultados?

O objetivo deste curso é apresentar a legislação básica e as normas vinculadas às operações do regime; informar sobre os benefícios concedidos, os produtos que podem ser beneficiados, os requisitos para aplicação do regime em suas modalidades, as formas de utilização, inclusive em situações especiais; e orientar sobre situações que geram inadimplências, suas consequências, e como evitá-las.

 
Ementa

1. Introdução contextual

  • Regime aduaneiro especial
  • Incentivo à exportação
  • Administração do drawback

2. Modalidades

  • Isenção
  • Suspensão
  • Genérico, Sem Cobertura Cambial, Solidário, Para fornecimento no mercado interno
  • Integrado
  • Intermediário
  • Para Embarcação
  • Restituição

3. Documentação

  • Registro de drawback
  • Ato concessório
  • Pedido de drawback
  • Anexo ao pedido de drawback
  • Relatório unificado de drawback
  • Plano de exportação
  • Estimativa de custos
  • Laudo técnico
  • Requerimento
  • Termo de responsabilidade

4. Sistemática das modalidades

  • Competência
  • Prazos
  • Licenciamentos
  • Vinculação dos documentos
  • Comprovação

5. Aspectos tributários vinculados às operações de importação e nas aquisições internas – II, IPI, PIS/Pasep, Cofins, ICMS, AFRMM, ATA
6. Inadimplemento e penalidades: aspectos tributários, fiscais e contábeis (o livro de controle da produção)
7. Seguro Garantia Aduaneiro

 
Docente
Maria da Luz Iria de Melo
 

Adequação de Embalagem para Exportação

 
Por que é importante conhecer

As embalagens para exportação merecem atenção especial, pois devem atender todas as exigências do mercado comprador no que se refere à legislação vigente. Outro aspecto relevante é o planejamento de diferentes tipos de embalagens, principalmente a que será apresentada para o consumidor final (afetam diretamente a decisão de compra e auxiliam a comunicação da empresa com os clientes) e a responsável pelo transporte (responsável pela conservação e integridade dos produtos, desde o armazenamento até a chegada no destino final).

Este curso abordará as principais regras e procedimentos necessários para garantir que sua embalagem garanta a segurança e a competitividade de seu produto no mercado externo, contribuindo significativamente para ampliar suas vendas.

 
Ementa

1. Produto

  • Conceito
  • Adaptação para o mercado externo
  • Fatores de competitividade
  • Qualidade
  • Design
  • Preço
  • Marca
  • Como agregar valor ao produto
  • Embalagem

2. Importância da embalagem em si e para o seguro

  • Importância para a montagem do prêmio de seguro
  • Como fator de proteção da mercadoria
  • Movimentos que podem afetar as embalagens
  • Função de comercialização
  • Embalagens primária, secundária e terciária
  • Embalagem para mercado interno e externo e materiais
  • Proteção das embalagens
  • Simbologia e identificação (marcação, numeração, pesos, etiquetas)

3. Requisitos técnicos

  • Normas técnicas da ABNT — Associação Brasileira de Normas Técnicas
  • Adequação da embalagem para atender as características do produto
  • Obtenção de certificações (FSC, PEFC) para embalagens de papel, papelão ou madeira
  • Rotulagem:
    • Procedimentos necessários
    • Tipos de rotulagens: tipo I — Programas de selo verde: NBR ISO 14024, tipo II -  Auto-declarações ambientais: NBR ISO 14021 e tipo III — Avaliação do ciclo de vida: NBR ISO 14025
  • O uso do código de barras nas embalagens para exportação

4. A importância da embalagem para a competitividade do produto

  • Fatores a considerar: beleza, originalidade, design, praticidade, segurança, conveniência, funcionalidade, humor, criatividade, facilidade de uso, estética, conservação, comunicação, proteção, transporte, sustentabilidade
  • A embalagem e o seu mercado-alvo, seu público consumidor
    • Idioma e aspectos culturais
    • Segmentação do mercado
  • Visibilidade do produto
  • Vantagem de criar edições limitadas, especiais e comemorativas

5. Transformando a mercadoria em Carga

  • Tipos de cargas
  • Como transformar sua mercadoria em carga
  • Riscos inerentes à carga
  • Tipos de embalagens
  • Consolidação de carga
  • Equipamentos de unitização:
    • Pré-linhagem (a carga é amarrada com alças ou cintas)
    • Pallets: estrutura, tipos, características e vantagens; paletização, fixação da carga (cintas, shrink, stretch); equipamentos de movimentação (pisos, embarques e desembarques)
    • Container: padronização, características gerais, medidas, capacidades, módulos; adequabilidade e escolha do container (20’ ou 40’); identificação, tipos, unidades disponíveis e finalidades; utilização, ocupação (peso ou volume) e fixação do container; ova e desova, procedimentos gerais
    • Outras opções de consolidação
 
Docente
Marcos Assis
 

DU-e Declaração Única de Exportação na prática

 
Por que é importante conhecer

O novo processo de exportação, realizado por meio de Declaração Única de Exportação (DU-E), busca adequar o controle aduaneiro e administrativo ao processo logístico das exportações, de maneira a realizá-los com eficiência e segurança. Os controles aduaneiro e administrativo de uma exportação realizada por meio de DU-E são efetuados por intermédio de módulos especializados do Portal Siscomex.  Assim, conhecer o novo processo de exportação e saber como preencher a Declaração Única de Exportação é essencial para as empresas exportadoras.

O curso é realizado com apoio de simulador que ficará disponível por 30 dias.

 
Ementa

1. Nota fiscal eletrônica

2. Elaboração da DU-E

  • Elaborar DU-E com nota fiscal eletrônica
  • Roteiro para elaboração da DU-E
  • DU-E vinculada a drawback integrado suspensão
  • DU-E sujeita à verificação estatística
  • Módulo LPCO – módulo de licenças e permissões
  • Incluir pedido de LPCO
  • Acompanhamento da análise de LPCO
  • Consultar LPCO
  • Cancelar LPCO
  • DU-E vinculada à LPCO (licença, permissão, certificado ou outro documento)
  • Próximos passos
  • Instrução da DU-E

3. Despacho aduaneiro de exportação via Portal Único processado por meio da DU-E

 
Docente
Sinara Bueno
 

Contratos Internacionais de Compra e Venda

 
Por que é importante conhecer

Ao planejar o acesso a novos mercados – seja para exportar ou importar – é fundamental que a empresa disponha de informações seguras que balizem as estratégias adequadas ao meio em que vai operar. Ao efetivar suas operações será necessário negociar um contrato internacional de compra ou venda de mercadorias com seu interlocutor no exterior, que deverá incluir cláusulas que disponham sobre vários aspectos da operação como transporte, seguro, pagamento e moeda, entre outros. Ao elaborar este contrato será necessário considerar a grande complexidade e diversidade de leis, usos e costumes que regem os negócios nos países interlocutores.

Assim, ter uma visão clara dos aspectos que devem ser observados ao elaborar e assinar contratos internacionais que assegurem os direitos e deveres dos interlocutores é essencial para o sucesso dos negócios da empresa no exterior.

 
Ementa

1. Operações internacionais versus operações internas
2. Fase pré-contratual: proponente (vendedor) e aceitante (comprador)
3. Documentos utilizados no comércio exterior

  • Pro forma invoice
  • Commercial Invoice
  • Purchase order
  • Outros documentos
  • Documentary instructions

4. Intervenção do agente ou representante
5. Análise geral das condições e cláusulas principais

  • Termos e condições de entrega (Incoterms): custos e riscos
  • Termos e condições de pagamento (diversas modalidades)
  • Outras condições

6. Análise dos riscos nas operações de comércio exterior: comerciais, políticos, risco-país, financeiros, técnicos, cambiais
7. Principais riscos comerciais na importação

  • Fornecedor: não entrega dos bens, falência e concordata
  • Não conformidade dos bens 
  • Pagamento antecipado
  • Carta de crédito

8. Principais riscos comerciais na exportação

  • Não pagamento, atrasos no pagamento 
  • Comprador: falência e concordata    
  • Moratória

9. Análise e adequação dos instrumentos de garantia e pagamento

  • Bid bond
  • Performance bond
  • Advance payment bond
  • Maintenance bond
  • Refundmend bond
  • Carta de crédito
  • Carta de crédito standby
  • Forfaiting
  • FCI (Factors Chain International)
  • Outros instrumentos

10. Outros contratos derivados da operação de compra e venda
11. Proteção contra riscos

  • Adequação das condições de "entrega": Incoterms
  • Adequação da modalidade de pagamento
  • Hedge

12. Como evitar fraudes no comércio exterior

  • Cuidados nas negociações (evitando situações conflitantes)
  • Cuidados no follow-up (operacionalizando em ambiente seguro)
  • Sinais de fraudes (comerciais e aduaneiras)
  • Ferramentas de análise de crédito e proteção
  • Padrões contratuais
 
Docente
Maria da Luz Iria de Melo
 

Classificação Fiscal de Mercadorias e Incoterms

 
Por que é importante conhecer

Na exportação e na importação, cada tipo de produto ou mercadoria possui um código correspondente na Nomenclatura Comum do Mercosul – NCM, que tem como base o Sistema Harmonizado - SH, que foi criado pela OMC. Além de ser utilizada para determinar as alíquotas de impostos de importação ou exportação a serem pagos, a NCM serve, também, para verificar os órgãos anuentes, como, por exemplo, o Ministério da Agricultura e a Anvisa, e para fins de cálculos estatísticos sobre o comércio exterior. A NCM aparece em todos os documentos relacionados às operações de importação e exportação. Assim, conhecer e utilizar corretamente a Classificação Fiscal de Mercadorias é uma obrigação de todos os importadores e exportadores, pois uma classificação errada pode gerar multas pesadas e muitos problemas para a empresa.

Já os Termos Internacionais de Comércio – Incoterms são utilizados para negociar as responsabilidades sobre transporte e seguro de mercadorias internacionais entre exportadores e importadores. Está em vigor a edição de 2010 e entrará em vigor nova edição em 2020.

 
Ementa

1. CLASSIFICAÇÃO FISCAL DE MERCADORIAS

  • Origem da Classificação de Mercadorias
  • Sistema Harmonizado (SH)
  • Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM)
  • NCM e sua aplicação nas empresas
  • Atualização da NCM pelo Sistema Harmonizado (SH)
  • NCM - organização da estrutura
  • Consequências e penalidades no caso de enquadramento indevido
  • Multas e penalidades aplicáveis
  • Como classificar corretamente um produto na NCM, utilizando a TIPI e a TEC
  • Estudo das regras gerais de classificação
  • NESH - Notas Explicativas do Sistema Harmonizado
  • Procedimentos de classificação fiscal
  • Classificação de produtos compostos (Kits)
  • Nomenclatura de Valor Aduaneiro e Estatística (NVE)
  • Enquadramento em destaques e pleitos declarados de “ex-tarifários” que reduzam a alíquota normal vigente ou para “ex-tarifários” gravosos que aumentem a alíquota normal vigente
  • Correção das tarifas aplicadas, dos direitos compensatórios, medidas de salvaguarda e direitos antidumping devidos, LI e CIDE
  • Procedimento após solução de consulta ou discussão judicial
  • Procedimento após emissão de laudo técnico divergente
  • Registro com relação dos laudos técnicos já emitidos para correta identificação de suas mercadorias

2. INCOTERMS

  • Estudo das siglas da Câmara de Comércio Internacional
  • Quais são as responsabilidades do exportador e do importador
  • Termos Internacionais de Comércio – Incoterms: Versão 2010 versus Versão 2020
  • Outras Condições de Venda
  • A escolha da Condição de Venda
 
Docente
Maria da Luz Iria de Melo
 

Câmbio no Comércio Exterior

 
Por que é importante conhecer

Operar no mercado internacional exige rapidez na formulação e negociação das formas de pagamento entre empresas localizadas em diferentes países – o que torna a administração eficiente e segura das operações cambiais na exportação e importação um diferencial competitivo para as empresas que atuam no exterior.

Por este motivo, é fundamental conhecer as regras, rotinas e responsabilidades bancárias do ponto de vista financeiro internacional, considerando a interação da empresa com os bancos e seu parceiro no exterior.

 
Ementa

1. Mercado de câmbio brasileiro: Sistema cambial, Estrutura do mercado: agentes e formas de transferência, Subdivisões do mercado, Participação do Banco Central
2.  Taxa de câmbio: livre, paridade, cotação, spread
3. Mercado de câmbio

  • Classificação das Operações: Compra, Venda, Arbitragem
  • Operações Comerciais e Financeira
  • Tipo: Manual e Sacado

4. Contratos de câmbio

  • Classificação das operações segundo sua natureza
  • Liquidação de contrato de câmbio: imediata, pronta e futura
  • Alteração de contrato de câmbio
  • Cancelamento e baixa de contrato de câmbio

5. Riscos: comerciais, risco-país, financeiros e cambiais, técnicos
6. Proteção contra riscos: Adequação das condições de "entrega"
7. Hedge: Vantagens; Hedger, especulador e arbitrador
8. Garantias bancárias:

  • Carta de crédito
  • Carta de crédito standby
  • Refundmend bond
  • Bid bond
  • Performance Bond
  • Forfaiting
  • FCI (Factors Chain International)

9. Principais produtos do mercado de derivativos: Contratos a termo (forward), Contratos futuros, Opções (call/put), Swap, Termo de Moedas (Non-Deliverable Forward - NDF)
10. Definindo como o pagamento será realizado - Modalidades de pagamento: Pagamento antecipado (Cash in Advance), Remessa sem saque ou direta (Open Account), Cobrança (Collection), Carta de crédito. Sistema de pagamentos em moeda local – SML
11. Como a transferência do valor pode ser realizada: Cheques, Travellers’s Checks, Cartões de crédito e de débito de uso internacional, Vale postal internacional, Ordens de pagamento via Swift
12. Antecipando recebimentos: ACC e ACE.
13. Documentação e compliance
14. Gestão de capitais internacionais

  • Modalidades de capitais brasileiros no exterior
  • Contas especiais; IOF Cambial
  • Declaração sobre a utilização dos recursos em modela estrangeira decorrentes do recebimento de exportação
  • Capitais estrangeiros no país e Censo de capitais estrangeiros
 
Docente
Shirley Atsumi
 
 
    Contatos: Crysthianne Pereira
  Telefones: (21) 2509-7000, 2509-2662, 3529-7002, 3529-7004
    Email: cursosfuncex@funcex.org.br
    Skype: cursos.funcex
       
   
Fundação Centro de Estudos do Comércio Exterior - FUNCEX
Rua Sete de Setembro, 99, 23º andar, Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep 20050-005
All Rights Reserved © 2010 - FUNCEX - Política de Privacidade
Telefones: (55.21) 2509-7000, 2509-2662, 3529-7002, 3529-7004
Fax: (55.21) 2221-1656